segunda-feira, 18 de agosto de 2008

Medalha de Prata para... Vanessa Fernandes


(por isto, já valeu estar acordado até as 5h da manhã)

8 comentários:

camisanegra disse...

Bem vindos a este combate!
Nunca desistam.

PILOTO disse...

Valeu o que valeu, mais que os negroides...

Vítor Ramalho disse...

Força camaradas

Anónimo disse...

também podem falar do nélson évora, lá porque não nasceu em Portugal nem pertence à "raça".
Mas a vossa memória histórica não permite tais ousadias, certo?

Enfim... moderem

Nacionalistas disse...

Já existe um 'Post' dedicado ao Nélson Evora!

Vítor Ramalho disse...

Sem tirar valor ao Nelson Évora como atleta.
Para mim português é um filho de um português.
Não aceito portugueses por decreto. Nem aceito a falta de verdade desportiva que é a da utilizar mercenários para ganhar medalhas.

Anónimo disse...

Vitor Ramalho,

Explica-me uma coisa, a sério.
"Para mim português é um filho de um português"

um português é filho de português - certo, percebi.
Mesmo que more noutro sítio qualquer, é isso? - certo, percebi.

Então os portugueses são sempre portugueses e têm direito a emigrar, é isso?
É que somos muitos por esse mundo fora, já me falaram em 5 milhões de portugueses de 1ª e 2ª geração por esse mundo fora.

Então, os "outros" não podem emigrar?
(vindo para Portugal que até tem uma taxa baixinha de estrangeiros - 5%)

E Carrazeda Pura quer dizer o quê?? - só portugueses em Carrazeda??

E então o que fazer com os portugueses que foram des-purificar meio mundo??

É isto que eu não percebo.

Se alguém poder fazer um post, eu agradeço.

Anónimo disse...

O "Zé" diz:
"E então o que fazer com os portugueses que foram des-purificar meio mundo??"

Isto revela total ignorância do assunto, e ideias impostas e generalizadas. Os portugueses sempre souberam estar em sociedade e comportar-se, somos um bom exemplo. Vá a França e pergunte... querem ver-se livres dos africanos e árabes mas nós somos sempre bem vindos pk?

Para explicar as dita des-purificação.


Mito dos olhos/cabelos claros

O mito, muitas vezes divulgado, de que os olhos e cabelos claros seriam necessariamente fatores definitivos na definição de uma pessoa ser ou não ariana, no ideário nazista, é falso.

Subdivisões da Raça Ariana

Segundo as idéias nazistas, a Raça ariana possuiria as seguintes sub-divisões:

1. Raça Nórdica (dolicocéfala loira);
2. Raça Alpina (braquicéfala morena);
3. Raça Báltica Oriental (braquicéfala loira, nariz pequeno, pômulos salientes) e
4. Raça Mediterrânea (dolicocéfala morena)(Portugal, Espanha, Itália, Grécia, França).

Uso da teoria

Arthur de Gobineau (1816-1882), em seu "Essai sur l'inégalité des races humaines" (Ensaio sobre a desigualdade das raças humanas) de 1855, supôs que a "raça" indo-europeia seria a ancestral de todas as classes dominantes da Europa e da Ásia Ocidental, sobretudo da nobreza francesa da qual ele alegava ser descendente.

Este trabalho, também, aponta para uma análise retrospectiva e pessimista, apontando que o declínio da raça superior devia-se ao contexto democrático que evoluía. Essas ideias cativaram a simpatia em diversos ambientes cultos, sem que ninguém lha contestasse. Naquela época, salienta-se, a desigualdade dos povos humanos saltava aos olhos dos europeus, que assumiam uma visão de colonizador (PORTUGAL, ESPANHA, ITÁLIA, FRANÇA), verdadeiros responsáveis pelo controle do mundo "NÃO-CIVILIZADO" e assim justificar suas acções de dominação.

Não é racismo mas sim uma questão de comportamentos sociais.

ASS: LORD SS 14/88