sexta-feira, 20 de junho de 2008

Portugal: DESPERTA!



Denominam-se Nzingalis e dele fazem parte alguns africanos de segunda geração. E porque acreditam que a raça negra será a dominante daqui a 50 anos na área metropolitana de Lisboa, querem um Estado africano independente em Portugal chamado Nzingalis, em honra da rainha angolana Nzinga e em homenagem a Lisboa.
Um site (www.blackmind.com/hosting/nzingalis) é a porta de entrada para as aspirações destes jovens que escolheram a Internet para divulgar as suas ideias. Assumem a criação de um Estado africano na zona de Lisboa como uma inevitabilidade.
Um Estado, cujas fronteiras, a Sul, chegariam a Sesimbra / Setúbal, a Este, a Benavente e Cartaxo e, a Norte, às Caldas da Rainha e Rio Maior. No seu interior ficariam, naturalmente, Lisboa, Cascais, Sintra, Setúbal, Almada e Torres Vedras.

Uma inevitabilidade que assumem por motivos de natalidade. Pelas suas contas, bastarão menos de 50 anos para a região de Lisboa e vale do Tejo se tornar «uma região de maioria negra». E, na lógica dos seus argumentos, Portugal nada poderá fazer para limitar esse crescimento, até porque também «já demonstrou que não consegue controlar a entrada de um numero crescente de imigrantes africanos».
Citando o exemplo de Portugal em relação a Espanha e a determinação de Portugal em conseguir a independência para Timor, os Nzingalis evocam o direito de autodeterminação. Um direito que, para estes, será conseguido a qualquer custo. «Será que os portugueses querem um novo "País Basco" aqui
em Portugal?», afirmam.
Mas não só. Os Nzingalis evocam apoios internacionais e lembram que «no Kosovo, a NATO defendeu o direito dos Kosovares a uma pátria própria apesar do território do Kosovo ser historicamente Sérvio».
E, se o mesmo não acontecer em Portugal, «nós temos os milhões de irmãos afro-americanos nos Estados Unidos cuja influência nesta sociedade é cada vez maior (...) que não deixarão de nos vir ajudar, caso seja necessário».

8 comentários:

Anónimo disse...

lolo que vão sonhando, a nova lei de repatriação da U.E. está perto, e essa maioria de ilegais tem os dias contados.... Mundo para a a vossa nação medíocre e pobre.... ass lord ss 14/88

yucânia cruz disse...

Nuno, acho que sabes mais ou menos como sou e por isso não deixo de comentar e mostrar a minha surpresa e tristeza acima de tudo, porque acho incrível a abordagem destes temas num sentido revoltoso!! Já me disseram que não há “peace and love” for everybody e que isso são sonhos, mas tal como esse meu sonho suponho que o vosso seja “sangue puro”.
Falando em “sangue puro” (não sei se conhecem realmente a história de portugal), porque portugal não tem sangue puro em mais de 5% da população,a sério. Tenho colegas portuguesas que os tetra-avôs são gregos,e coisas assim. Opah,e ainda acho inacreditável tentarem criar um conceito de raça pura, a sério( talvez os nórdicos e islâmicos talvez sejam puros) porque a sociedade ocidental,hummm não me cheira. Ah, e não digam que é através de africanos,mentira. Acho que toda a gente tem conhecimento disso (até indianos(do tempo da colónia,etc),tudo e mais alguma coisa.) E acho que antes de tudo antes de começarem apontar dedo para não portugueses,pensem na questão à fundo, escolham os de sangue puro(nem chega a 5%da população portuguesa!!)
Sei que não se deve falar em coisas passadas,porque é estúpido (vai contra à evolução natural das coisas) e nem me vou por a falar sobre as ex-colónias, o caos,etc!
Mas falo do presente, se acham que são apenas os imigrantes (e já vi que alguns não sabem a diferença de Imigrantes com Emigrantes,atenção a este ponto) da europa do leste ou de áfrica que vos tira o trabalho(vendo nesta perspectiva). Neste momento(espero que tenham conhecimento de alguns números bastante grandes e por vezes dissimulados por uma sociedade estúpida!!!) da quantidade de imigrantes europeus que cá estão(não falo dos países como espanha,etc) temos aqui imenso britânicos, temos imensos vindos da alemanha, tantos da noruega e suécia,e de outros sítios(se acham isso impossível respondam-me. Quem é que começa a investir nessa economia? São aqueles que trazem so filhos atrás, e olha que costumam ter mais de 3filhos e que muitas vezes são mimados e estudam em colégios privados(tipo colégio alemão,e as escolas internacionais que na área de lisboa são 4 !e que costumam !)) (http://www.stjulians.com/admissions/fees.html vejam as proprinas de uma dessas escolas!! ah, e muitas vezes os pais trabalham em grandes empresas e costumam roubar dinheiro do povo português,já agora :P) Incrível como não é a camada da classe média baixa que costuma roubar :O!!
Nuno,já tinha dito que entendia o vosso ponto de vista, acerca dos imigrantes que fazem porcaria(esses sim deviam sofrer graves penalizações) tal como os imigrantes portugueses portugueses que estão naquilo em que posso chamar minha terra natal(porque por todos os países a que já fui nunca me senti realmente bem em menhum deles,até aqui onde vivo..e porquê? Porque consigo adquirir várias culturas e tradições e ao máximo tento formar novas formas de vida e as pessoas acham isso louco!! e acho que devíamos fazer o mesmo,ou tentar!). Sim,porque no país onde nasci e pouco cresci( por motivos de saúde e trabalho do meu pai, porque não foi uma questão de imigrar mas sim de ter sido nomeado aqui e em espanha quando era eu super pequena!) há imensos imigrantes estrangeiros (mesmo imensos! Falo de portugueses, espanhóis, italianos,turcos, africanos também, americanos,brasileiros, russos, chineses aos milhares, canadianos e até australiandos e tailandeses!!De tudo um pouco,faltam mais nacionalidades!)e mais de 70%costuma roubar na minha terra, roubar em grandes petrolíferas, em grandes empresas, em grandes construções e até fazem lavagem de dinheiro porque não descontam para o estado e o estado nem faz ideia que eles estão lá a trabalhar! Mas fazem isso,portugueses também! E nós lá não os tratamos como vocês nos tratam aqui, não sei porquê! Mas não tratam e nem faço questão de tratar quando lá estiver. Mas se pensam que acho que a nossa situação de precariadade se deve a guerra e má gestão do país(é bem verdade) mas acho que não conhecem a quantidade de portugueses que lá se encontra! O meu pai trabalhava na embaixada e infelizmente ou felizmente eu conseguia ter acesso à certos números, e digo-vos que são mais de cem em duas semanas! A sério. A última vez que lá estive foi em Novembro e fui pela Tap e nunca tinha estado num vôo para luanda-lisboa e lisboa-luanda que mais de 75% dos passageiros eram aquilo que vocês chamam “brancos”. Ah,eu tenho uma amigo, Pedro Teixeira e ele é neto do dono do Millennium Bcp e sabem o que fiquei a saber? Que o avô dele viajou para lá e pediu um visto, e não é nada for a do normal. Mas há PORTUGUESES que pedem o visto,ficam-se por lá e passado nem três meses pedem a nacionalidade angolana!! Vantagens económicas,vamos lá ententar ! Porque antes de tirarmos qualquer conclusão temos que ver as duas faces da moeda!(não digo que seja para contestar mas as coisas são assim...têm 2faces). E sobre essa formação dos Nzingalis (acho completamente estúpido) mas sabem, há outras formas de protestar em vez de mandar embora, podem ir às respectivas embaixadas, ao antigo comissariado dos imigrantes e nacionais e sem esquecer que podem ser atendidos em qualquer um destes sítios(demora tempo,mas acontece!!). Ah,e sobre a taxa que violência que vocês dizem que tem uma grande influência dos imigrantes, MENTIRA! Aposto que não telefonam aos comissariados e falam sobre esses número, porque tinha eu 16 anos fiz isso e disseram-me que aparentavam ser os imigrantes os maiores na violência porque quando eram eles a cometer algum delito ou crime, aparecia na tv a sua origem. Mas quando são os nacionais,como costuma acontecer e que têm uma taxa de 60% desta violência não dizem nada sobre a nacionalidade ;),incrível.
Ah, também concordo com a vossa ideia de contestar por certos indíviduos terem a nacionalidade e não respeitarem a cultura para a qual ingressam (não vos atiro uma pedra) mas se por acaso fossem bons portugueses não davam essa má impressão ao mundo e aos outros de NACIONAL É BOM, mas sim passavam a tradição,que tal :)? uma situação hipotética mas pode ser possível!
Aqui está um ponto da lei da nacionalidade!!

“””Assim, atribui-se nacionalidade originária: aos imigrantes de nascidos em Portugal, filhos de estrangeiros que também já nasceram em Portugal; aos imigrantes nascidos em Portugal, filhos de estrangeiros, quando pelo menos um dos progenitores resida legalmente em Portugal há 5 anos; concede-se um direito à nacionalidade por naturalização aos menores imigrantes nascidos em Portugal cujos pais se legalizem e estejam legais há 5 anos ou que concluam aqui o primeiro ciclo do ensino básico; admite-se a aquisição da nacionalidade por naturalização aos imigrantes que aqui tenham nascido quando atinjam a maioridade, tendo aqui permanecido nos últimos 10 anos.
A Lei não confere a nacionalidade automaticamente a todos os que nasçam em Portugal. O sistema continua a privilegiar o "ius sanguini", na aquisição originária por filiação não há outros requisitos, no que diz respeito ao "ius soli" existe a regra da legalidade dos pais.””””

http://www.mne.gov.pt/mne/pt/infocidadao/portugal/nacionalidade/


Não vos quero por a minha ideia nas vossas cabeças,porque isso não acontece assim. Há uma evolução, nem venho aqui dizer que são um bando de estúpidos por terem essas perspectiva mas espero que um dia todos os povos se possam dizer bons nacionais ao ajudarem todos os outros :)(outra situação hipotética)


Obrigado, Adeus Nuno
Yucânia Cruz

Anónimo disse...

Expresso aqui (também) a minha tristeza por concluir que (afinal) não me conheces.

Nuno

Anónimo disse...

Ummm a imigração entre europeus está sempre bem.... mas dos outros países só de passar provas e teste come se faz na Austrália e E.U.A. É o que a União Europeia vai começar a fazer... Os imigrantes ilegais tem que saír pois em nada contribuem para o país, que estão cá a fazer???? Pois estou ansioso para que esta lei chegue. O que nos revolta mais é a vossa tentativa de criar território, pois estamos num país que é de todos e não de gang's e grupos, outra coisa eu não digo nem faço nada se vos vir, pois se eu entrar num dos vossos bairros sou logo agredido e roubado, sou ainda questionado o que estou ali a fazer... porra estou no meu país e vou para onde quero não é alguém de fora que me vai dizer o que fazer e para onde ir. Pois eu sempre senti estas coisas mas tudo piorou quando duas pessoas de raça negra me quiseram bater e roubar por ser branco. Mas onde estamos, nem no meu país estou bem... pois os italianos, ingleses etc estão em paz e nem fazem esses gang's. Não deixam de estudar aos 17 anos para ir vender droga e fazer assaltos... lord ss 14/88

Anónimo disse...

Viu-se quem ficou, em Angola ou Moçambique, a explorar as imensas riqueza: os soviéticos, os cubanos, os americanos. Hoje, os chineses.
Os brancos honestos abandonaram a nossa África, deixando a mesma aos arrivistas, nada restando já das nossas infra-estruturas – escolas, liceus, hospitais, fábricas, portos… o bem-estar e o progresso enfim… Pois quiseram a independência para entrar em guerras e se matarem... E deixarem-se explorar por americanos e Russos, e esse dinheiro que é muito onde anda? Que fazem esses países pelo seu povo? Com tanta riqueza e não sabem geri-la... Pois era melhor termos ficado lá nós, já que destruíram o que lá deixamos, nem as escolas se safaram. ass lord ss 14/88

Anónimo disse...

Cabe a nós portugueses decidir o que achamos melhor para o nosso país, se acharem que não é bom podem ir para outro, quem esta mal muda. Além do mais os imigrantes vêem-se cheios de direitos e regalias que nunca viram e acomodam-se, mas esquecem-se que também tem deveres e regras para cumprir e recusam-se a cumpri-las. Nós os nacionais cumprimos e os imigrantes nem pensar só porque não apetece... Acha-se isto bem? Tenho crianças na família e todos trabalhamos e pagamos os nossos impostos. Queria que o estado me ajuda-se na sua educação e nada... Pois vai-se buscar pessoas sei lá onde e da-se bolsa de estudo, casa, etc... Não devo ficar revoltado com isto? Não ando a pagar impostos para estrangeiros mas sim para os portugueses... Eu se estivesse nessa situação sentia-me mal sabendo que estava a tirar aquilo que é dos outros e sem fazer nada para o merecer... Só porque me é dado. Mas a falta de vergonha não tem limites. Pois é bom ter tudo sem ter que mexer uma palha...

PILOTO disse...

Alto lá, o que? Eles querem o que? Até os comemos, vou nem que seja a pé de donde estou até Portugal para me juntar a luta, se isso um dia acontecer, mas uma coisa é certa eles têm mais de uma meia-duzia de filhos e o comum dos portugueses têm 2 a 3 filhos, mas quem lhes pagas depois todos os subsidios a essa gente muitos deles nem estudam nem trabalham(roubam e matam), por esse andar daqui a 50 anos ñ sei ñ, se ninguem actuar(?????), é preciso união, a união faz a força, temos que ter força e esperança.
Agora quero prepor uma pergunta: Quem esta a favor do acordo ortografico???
EU SOU CONTRA, PORQUE O PORTUGUES NARCEU EM PORTUGAL E OS PAISES QUE SE EXPRIMEM NA NOSSO LINGUA MÃE Ñ TËM MAIS NADA QUE SE ADAPTAREM A ELA E MAIS NADA, E DE Ñ ANDAREM A INVENTAR COMO OS BRAZUCAS,"VALEU CARA"<--- esta expressão simplesmente ñ existe em Portugal, por isso ñ nos lixem mais srs (des)governantes....

Anónimo disse...

Mito dos olhos/cabelos claros

O mito, muitas vezes divulgado, de que os olhos e cabelos claros seriam necessariamente fatores definitivos na definição de uma pessoa ser ou não ariana, no ideário nazista, é falso.

Subdivisões da Raça Ariana

Segundo as idéias nazistas, a Raça ariana possuiria as seguintes sub-divisões:

1. Raça Nórdica (dolicocéfala loira);
2. Raça Alpina (braquicéfala morena);
3. Raça Báltica Oriental (braquicéfala loira, nariz pequeno, pômulos salientes) e
4. Raça Mediterrânea (dolicocéfala morena)(Portugal, Espanha, Itália, Grécia, França).

Uso da teoria

Arthur de Gobineau (1816-1882), em seu "Essai sur l'inégalité des races humaines" (Ensaio sobre a desigualdade das raças humanas) de 1855, supôs que a "raça" indo-européia seria a ancestral de todas as classes dominantes da Europa e da Ásia Ocidental, sobretudo da nobreza francesa da qual ele alegava ser descendente.

Este trabalho, também, aponta para uma análise retrospectiva e pessimista, apontando que o declínio da raça superior devia-se ao contexto democrático que evoluía. Essas idéias cativaram a simpatia em diversos ambientes cultos, sem que ninguém lha contestasse. Naquela época, salienta-se, a desigualdade dos povos humanos saltava aos olhos dos europeus, que assumiam uma visão de colonizador (PORTUGAL, ESPANHA, ITÁLIA, FRANÇA), verdadeiros responsáveis pelo controle do mundo "NÃO-CIVILIZADO" e assim justificar suas ações de dominação.


ASS: LORD SS 14/88